Construindo um Twitter mais inclusivo em 2016

Por ‎@jmsSanFran‎
Quinta-feira, 19 Janeiro 2017

O Twitter é onde a inclusão vive, onde os movimentos se formam, a informação é compartilhada e a mudança acontece, tudo em tempo real. O mundo viu isso com conversas em torno de #BlackLivesMatter, #SheInspiresMe, #LoveIsLove, #OrlandoStrong, #BlackWomenDidThat, e muitos mais. E nos esforçamos para encontrar esse espírito de inclusão em nosso local de trabalho também.

Ao longo de 2016, implementamos práticas que promovem nosso compromisso, identificamos e agimos sobre vulnerabilidades que possam impedi-lo, e nos associamos com organizações que podem nos ajudar a garantir que estamos construindo uma força de trabalho diversificada e inclusiva. Aqui está um pouco do que temos feito:

  • Reconhecendo a importância de focar nos comportamentos que estão no caminho da inclusão, fizemos parceria com a Paradigm para oferecer oficinas de inclusão e viés inconsciente aos nossos funcionários em todo o mundo. Esses workshops são realizados por especialistas no campo e oferecem um espaço para que os funcionários aprendam como o viés pode entrar em ação no trabalho, compartilham perspectivas abertamente, e também desenvolvem estratégias e habilidades para gerenciar ativamente o viés.

Realizamos treinamentos em muitas empresas. O Twitter teve importante preocupação no rastreamento do impacto de seus treinamentos a longo prazo, permitindo-nos aprender que o conteúdo projetado tanto para aumentar a conscientização, quanto para gerenciar o viés resultou em mudanças comportamentais reais nos funcionários.

Joelle EmersonCEO da Paradigm

Construindo um Twitter mais inclusivo em 2016

  • Alcançar e ir além de nossos objetivos também depende de um investimento em nossas pessoas e seu crescimento. Assim, lançamos novos programas voltados para desenvolvimento, visibilidade e patrocínio de mulheres e minorias em diferentes áreas. Reconhecemos o poder das histórias de liderança de nossas mulheres e, anualmente, nomeamos várias como MAKERS. Em 2016, todas as nossas posições abertas de chefes de países foram ocupadas por mulheres.

Construindo um Twitter mais inclusivo em 2016

  • Nos colocamos onde está o talento, e nos apresentamos em peso nos prêmios Grace Hopper - Celebração de Mulheres na Computação, Convenção anual da Sociedade Nacional de Engenheiros Negros (NSBE), e a Conferência da Sociedade de Engenheiros Hispânicos Profissionais (SHPE). Lançamos uma parceria com CODE2040, focada em estudantes de engenharia de software. Atualizamos nosso site de carreira com uma nova seção focada na inclusão e na diversidade. Para mitigar o viés inconsciente e otimizar a inclusão, fizemos mudanças estratégicas em nosso processo de entrevista técnica e implementamos ferramentas baseadas em software para aumentar o grupo de candidatos e melhorar nossas descrições de cargos. Também construímos uma função dedicada ao recrutamento de diversidade universitária para alcançar talentos, criando planos personalizados para cada região, bem como programas específicos no Twitter como #FirstFlight para recrutas universitários em potencial. Nosso objetivo é criar um sentimento de pertencimento em nosso processo de entrevista.

 Não presumimos ter todas as respostas. Assim, procuramos aprender com organizações que alcançam diferentes comunidades no seu dia-a-dia ou que investem na próxima geração de talentos. Apoiamos a ADCOLOR, focada na diversidade em campos criativos, Tech Women, Lesbians Who Tech, AfroTech, o National Center for Women & Information Technology e Girls Who Code, para citar algumas.

Expandimos a forma como pensamos sobre as responsabilidades e licença dos pais, atualizando nossa política para fornecer até 20 semanas de férias pagas a todos os pais globalmente, independentemente de gênero ou identidade de gênero e inclusive de adoção, parto natural ou sub-rogação, etc.

Nossa cultura de inclusão tem sido fortalecida por nossos Grupos de Afinidades de Funcionários (ERGs, na sigla em inglês para Employee Resource Groups). Seja influenciando o modo como importante decisões sobre a força de trabalho são feitas, fortalecendo as comunidades internamente, impactando o modo como aparecemos dentro e fora do Twitter ou recrutando talentos, os ERGs são fundamentais para nosso compromisso com a inclusão e diversidade. Eles têm um total de cerca de um milhão de seguidores no Twitter, e engajam com eles regularmente, além de convidá-los para eventos e discussões.

@TwitterWomen, que reuniu todos os grupos de mulheres no Twitter em 2016, desenvolveu nossa campanha mundial #SheInspiresMe em torno do Dia Internacional da Mulher. Graças ao trabalho do @TwitterAlas (funcionários Latinos e Hispânicos) e @Blackbirds, trouxemos a comunidade para o Twitter durante o #HispanicHeritageMonth e o #BlackHistoryMonth com emojis personalizados. Graças ao trabalho do @Blackbirds, nosso emoji amplamente reconhecido para #BlackHistoryMonth continua ativo após as tragédias #PhilandoCastile e #AltonSterling. O @TwitterOpen (funcionários LGBT) nos ajudou a alcançar uma pontuação perfeita do HRC Corporate Equality Index e recebeu o Visionary Award pelo Trevor Project, focado em iniciativas anti-bullying. Após a tragédia em Orlando, @TwitterOpen e @TwitterAlas co-organizaram uma vigília para criar conscientização, reflexão e lembrança.

Construindo um Twitter mais inclusivo em 2016

Também apresentamos dois novos ERGs - Twitter Parents e Twitter Stripes (apoiando nossa comunidade de veteranos). E, em breve, receberemos um novo grupo para apoiar os funcionários asiáticos.

Por fim, contratamos um gerente para o programa ERG para trabalhar diretamente com nossos ERGs a fim de apoiar suas estratégias e impacto.

Para 2016, buscamos nos impulsionar de forma distinta e estabelecer metas mensuráveis, e estamos felizes em compartilhar que nós atingimos ou superamos muitas delas. Com o nosso compromisso vimos progressos na contratação e desenvolvimento de carreira, cultura, políticas e, como resultado, um aumento da representação global de mulheres e minorias sub-representadas. Os dados dos gráficos abaixo são globais ou dos EUA, conforme as legendas.

Construindo um Twitter mais inclusivo em 2016

Construindo um Twitter mais inclusivo em 2016

Construindo um Twitter mais inclusivo em 2016

*Para minorias sub-representadas também estamos focados na orientação sexual e identidade de gênero. Em 2016, pela primeira vez, demos a todos os novos contratados dos EUA a oportunidade de se auto-identificarem como LGBTQ. Embora essa coleta de dados seja nova e, portanto, limitada, queríamos que aqueles que escolheram se identificar fossem contados. Dos funcionários que responderam, 10% foram identificados como LGBTQ. À medida que mais funcionários responderem em 2017, esperamos ter um quadro mais completo.

Sabemos que os efeitos de nossas ações - muitas delas novas em 2016 - não podem ser imediatos. Estamos focados em esforços contínuos que nos ajudarão a atrair mais talentos, criar grandes experiências e carreiras e promover uma cultura de pertencimento que viva plenamente com o espírito de comunidade no próprio Twitter. E continuaremos a nos unir e aprender com nossos colegas da indústria, com o espírito de fazer melhor não apenas para nós mesmos, mas para a indústria como um todo.

Nosso compromisso com a inclusão e a diversidade é fundamental para quem somos e crucial para a eficácia do nosso serviço. Os objetivos do passado já não se aplicam aqui, por isso estamos novamente definindo metas de representação para 2017. Além disso, estamos indo mais longe e adicionando uma nova meta para minorias sub-representadas em cargos não-tecnológicos. Seja qual for a área da meta, continuaremos a ser amplamente focados na inclusão, priorizando a interseccionalidade e grupos específicos sub-representados, e a agir em diferentes oportunidades para as nossas diferentes funções de negócios.

Construindo um Twitter mais inclusivo em 2016

O congressista norte-americano John Lewis, que nos visitou recentemente para compartilhar experiências de movimento de direitos civis capturado em sua trilogia “Março”, nos lembrou que “todos nós vivemos na mesma casa… a casa do mundo. Somos um só povo, somos uma família, devemos olhar uns aos outros e construir essa amada comunidade, esse mundo amado.” Nós procuramos viver de acordo com o espírito desta verdade - criando um ambiente de trabalho que promove o sentimento de pertencimento e permite que todos no Twitter possam prosperar. Não apesar de suas diferenças, mas por causa delas.

Clique aqui para ver nosso relatório da EEO-1 de setembro de 2016.